fbpx
Em que ano você nasceu?






Pela primeira vez, três bares brasileiros estão na lista dos 100 melhores do mundo

Notícias
Bar Guilhotina - Leo Feltran

⍟ Três bares brasileiros conquistaram, neste ano, um espaço na lista do The World’s 50 Best Bars. Frank Bar, Guilhotina e SubAstor colocaram o país na rota de drinks internacional. Confira a lista completa.

Publicado em 19 de setembro de 2017, às 18h.

Este dia 19 de setembro marca um acontecimento histórico na coquetelaria brasileira. Não apenas um, mas três nomes do Brasil estão na lista dos cem melhores bares do mundo, organizada desde 2008 pela William Reed Business Media. Até então, nenhum bar nacional havia sido homenageado. Essa conquista significa maior visibilidade para a coquetelaria nacional no exterior e, mais do que isso, a oportunidade de crescimento para os negócios regionais.

Frank Bar, Guilhotina e SubAstor conseguiram posições na lista graças à qualidade de seus serviços de bar e do talento e dedicação de seus head bartenders. São bares que provam que o país deixou de vez o período obscuro da coquetelaria e alcançou o patamar de reconhecimento internacional.

A lista com os 50 primeiros colocados será divulgada apenas no dia cinco de outubro. Eles serão homenageados em uma cerimônia de premiação em Londres. No final desta matéria, confira as casas colocadas entre o 51º e 100º lugar.

66º LUGAR – FRANK BAR

Comandado por Spencer Amereno Jr, o bar inspirado na visita de Frank Sinatra ao Hotel Maksoud Plaza foi o melhor colocado entre os brasileiros. Por seu serviço e qualidade única na elaboração de cocktails, a casa é constantemente premiada. Este ano, já foi reconhecida como a Melhor Carta de Drinks pela Revista Veja Beber e Comer e Melhor Bar da Cidade de SP pelo jornal Folha de S. Paulo.

Com um ambiente sofisticado e típico de speakeasy – escuro e reservado – a cereja do bolo é a criatividade de Spencer para a criação de cartas de drinks detalhistas e focadas em uma experiência diferenciada para o cliente. Afinal, ele não vai ao Frank se não for para se surpreender e ouvir um bom jazz. A premiação fortalece a posição do Frank Bar como uma casa de referência em alta coquetelaria na capital paulista.

Para Spencer, a presença de bares nacionais na listagem chama atenção do restante do mundo para o Brasil e também para a qualidade do próprio bar. “A expectativa dos convidados do Frank Bar irá aumentar, o que deixa tudo mais difícil pra nós. Assim que funciona, quanto mais reconhecimento, mais as pessoas esperam de você”.

73º LUGAR – GUILHOTINA

Márcio Silva é chefe de bar do Guilhotina, um dos três bares premiados (Foto: Reprodução/Facebook)

Márcio Silva, sócio e head bartender do Guilhotina também tem motivos de sobra para comemorar este ano. Embora o bar tenha sido inaugurado há pouco menos de um ano, já foi eleito um dos 25 bares com a melhor carta de drinks do Brasil e, agora, um dos cem melhores do mundo. Para ele, a 73ª posição é reflexo de um trabalho duro, feito de coração aberto pela equipe da casa.

Ao abrir o bar, a equipe de sócios e funcionários já tinha certeza de que faria um bom trabalho, mas o mixologista afirma que não imaginava que o reconhecimento viria tão rápido. “Com seis meses de funcionamento, nós ficamos entre os dez novos melhores bares de cocktails do mundo pelo ‘Tales of the Cocktail’ de Nova Orleans (algo inédito a um bar sul-americano) e acredito que isso nos projetou mais rápido a estar entre os cem melhores do mundo”.

Em julho deste ano, o bartender argentino e jurado do World’s Best Bars, Daniel Estremadoyro, esteve no Brasil para a realização de masterclasses de Plymouth Gin e participou de um guest no Guilhotina. Márcio já era amigo do bartender e explica que Estremadoyro analisou desde a infraestrutura da casa até o trabalho da equipe. “Lembro de ele dizer que era bonito ver o quanto trabalhávamos nos divertindo”.

O chefe de bar reforça que a chegada do Brasil ao top cem do The World’s 50 Best Bars é muito importante para a coquetelaria brasileira. “Nós temos muito o que mostrar a nossos companheiros de trabalho do exterior, da mesma forma que temos muito o que aprender com eles também”.

90º LUGAR – SUBASTOR

O SubAstor foi o primeiro balcão comandado por Fábio La Pietra quando chegou ao Brasil. Recentemente, de volta à casa, ele recebe o prêmio com a consciência de não existem muitos segredos para o sucesso de um bar: é o resultado de muito trabalho e disciplina. É mais do que simplesmente oferecer drinks de qualidade.

“É o timing certo de entrega, o atendimento além de qualquer outro ponto, a atmosfera e o ambiente que, com certeza, fazem com que tudo isso se amplifique na memória do cliente que visitou o bar durante aquela noite. E também muito networking através de indústrias globais”. Ele explica que estes pontos valem para todos, a diferença é que cada equipe os executa de maneira diferente.

SubAstor, localizado na Vila Madalena, em São Paulo

Para La Pietra, estar classificado na lista dos melhores bares do mundo é, além de um privilégio para o próprio SubAstor, mas também para todos os bares do Brasil. “São pontos que melhoram a qualidade, as pesquisas, a dedicação de cada bar, cada gestor e cada marca. É exatamente esse percurso que faz o nosso mercado crescer. Mais investimento, mais dedicação e mais intenções compartilhadas”.

COMO É FEITA A VOTAÇÃO?

Para entender a importância da classificação é indispensável conhecer como os votos são distribuídos. São 505 jurados de 55 países diferentes. Os juízes são selecionados conforme o desenvolvimento da coquetelaria em cada região. Sendo assim, a Europa conta atualmente com 150 avaliadores, a América do Norte com 115 e 70 na América Latina. A Ásia dispõe de 110 votos. África e Oriente Médio, de 30 votos cada.

Os jurados podem ser mixologistas, jornalistas especializados e amantes de drinks. Cada um deles tem direito a sete votos, sendo que pelo menos três devem ser direcionados a bares fora de seu país de residência. As melhores casas são escolhidas de acordo com a qualidade da experiência vivenciada pelos jurados. Eles precisam ter visitado o local pelo menos uma vez nos 18 meses que antecedem a competição. Isso garante votos diversificados, atuais e convida os avaliadores a conhecerem a cultura de bar de outras regiões.

Ou seja, para estarem entre os cem melhores, os brasileiros precisaram encantar alguns dos mais de 500 jurados internacionais e se destacar entre centenas de outros bares mundo afora. Para efeito de comparação: o Brasil tem mais representantes na lista do que países como Rússia, Austrália e Chile.

Veja a lista dos bares colocados entre o 51º e 100º lugares

51. PDT – Nova York, USA
52. Bramble – Edinburgo, Reino Unido
53. Buck and Breck – Berlim, Alemanha
54. Central Station – Beirute, Líbano
55. Maison Premiere – Nova York, EUA
56. Le Chamber – Seoul, Coréia do Sul
57. Smuggler’s Cove – São Francisco, EUA
58. Ruby – Copenhagen, Dinamarca
59. Death & Co. – Nova York, EUA
60. Nottingham Forest – Milão, Itália
61. Fifty Mils – Cidade do México, México (novo na lista)
62. Gibson – Singapura
63. Dry Martini – Barcelona, Espanha
64. Bar Trench – Tóquio, Japão
65. Lost Lake – Chicago, EUA
66. Frank Bar – São Paulo, Brasil (novo na lista)
67. Paradiso – Barcelona, Espanha (novo na lista)
68. The Pontiac – Hong Kong, China
69. Stockton – Hong Kong, China (novo na lista)
70. El Copitas – São Petersburgo, Rússia
71. Three Sheets – Londres, Inglaterra (novo na lista)
72. Zuma – Dubai, Emirados Árabes
73. Guilhotina – São Paulo, Brasil (novo na lista)
74. Satan’s Whiskers – Londres, Inglaterra
75. Hanky Panky – Cidade do México, México
76. Bulletin Place – Sydney, Austrália
77. Circe by Cihan Anadologlu – Munique, Alemanha
78. Charles H. – Seoul, Coréia do Sul
79. The Bar With No Name – Londres, Inglaterra
80. Anvil – Houston, EUA
81. Scout – Londres, Reino Unido (novo na lista)
82. Salmon Guru – Madri, Espanha (novo na lista)
83. Star Bar – Tóquio, Japão
84. Canon – Seattle, EUA
85. Chainaya Tea & Cocktails – Moscou, Rússia
86. Angel’s Share – Nova York, EUA (novo na lista)
87. Sager & Wilde – Londres, Inglaterra (novo na lista)
88. Gen Yamamoto – Tóquio, Japão (novo na lista)
89. The Everleigh  – Melbourne, Austrália
90. SubAstor – São Paulo, Brasil (novo na lista)
91. Bar Goto – Nova York, EUA
92. Red Frog – Lisboa, Portugal (novo na lista)
93. Bar Orchard Ginza – Tóquio, Japão (novo na lista)
94. Copperbay – Paris, França (novo na lista)
95. Swift – Londres, Inglaterra (novo na lista)
96. The Walker Inn – Los Angeles, EUA
97. The Union Trading Company – Shanghai, China (novo na lista)
98. Herbs And Rye – Las Vegas, EUA
99. Potato Head Beach Club – Bali, Indonésia (novo na lista)
100. Siete Negronis – Santiago, Chile (novo na lista)

Você vai gostar de ler!

Como preparar drinks montados

UTENSÍLIOS PARA ESTA AULA Colher bailarina  –  Hawthorne Strainer  –  Jigger  –  Faca  –  Taça Borgogne INGREDIENTES ...

Balcão do Gong Bar, em Londres

Gong Bar: coquetelaria inovadora a 52 andares de altura

⍟ Considerado o mais alto de Londres, o balcão do Gong Bar foge do lugar comum em busca de sabores que evoquem experiências visuais ...

Escreva o seu comentário:

O seu e-mail não será divulgado.

Menu deslizante