Em que ano você nasceu?





Como preparar seu bar para servir clientes com alergias alimentares

Educacional
cocktail rosa sobre o balcão de um bar

⍟ Segurança dos clientes deve ser palavra de ordem no bar. Conheça os principais itens que provocam alergias alimentares e saiba como evitar possíveis problemas de saúde

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 30% da população brasileira possui algum tipo de alergia. Elas podem ser dos mais variados tipos, desde respiratórias, de contato, até as alimentares – essas últimas são as mais preocupantes.

De forma geral, as alergias alimentares são consideradas reações do corpo a determinados itens que ele considera ameaças à saúde. Isso pode acontecer de repente, mesmo com comidas, temperos ou outros ingredientes que até então podiam ser inofensivos. Funciona assim: a alergia começa quando o sistema imunológico é ativado para lutar contra a ameaça detectada e, para isso, começa a produz anticorpos específicos para isso em quantidades muito altas.

O resultado é o início de um processo inflamatório no corpo, dando o start nas conhecidas reações alérgicas, que podem se manifestar na pele, no sistema gástrico ou respiratório. Alguns dos sintomas mais comuns são vermelhidão, coceira, olhos lacrimejantes, dificuldade para respirar, espirros, inchaço da boca, garganta, entre outros.

Não há como saber quem apresenta reações alérgicas a determinados alimentos ou bebidas, por isso é importante conhecer alguns dos itens que mais desencadeia reações deste tipo e conversar com aqueles que se sentam ao seu balcão.

ALERGIAS ALIMENTARES MAIS COMUNS

Após o primeiro contato com o alimento, a reação alérgica pode demorar de minutos até cerca de duas horas para se manifestar. Embora exista uma infinidade de ingredientes que podem levar a reações alérgicas, estima-se que mais de 80% delas acontecem após a ingestão de algum dos ingredientes abaixo:

1 – Leite e derivados: essa alergia é provocada pela proteína chamada caseína e pode surgir em qualquer momento da vida. Seus sintomas mais comuns são problemas digestivos, vômitos e coceiras na pele acompanhadas de vermelhidão. No seu bar, repense o uso do leite e também de seus derivados, como leite condensado, creme de leite, queijos, etc. Esclareça para seus clientes que a alergia ao leite não é sinônimo de intolerância à lactose.

 

2 – Ovos e derivados: neste caso, a grande vilã é a albumina, presente na clara e também na gema dos ovos. Outros derivados deste alimento também contém a substância. Os principais sintomas são: dores no estômago, vômitos, tosse e dificuldades para respirar. Na hora de criar sours, por exemplo, cogite substituir o ovo por outros ingredientes para conseguir a cremosidade da espuma. Nesta matéria, você encontra opções diferenciadas para criar cocktails seguros para quem sofre dessa alergia. De quebra, também fica livre do risco de salmonela.

3 – Amendoim: nutricionistas explicam que um dos fatores que levam à alergia por amendoim é o excesso de proteínas que ele carrega. A cupina e a conglutinina, nesta caso, são as principais responsáveis pelas reações alérgicas, que podem variar desde dores abdominais, gases, coceira a até conjuntivite. Se possível, evite servir bebidas com este ingredientes in natura, em leites vegetais, cremes, licores ou guarnições.

 

4 – Frutos do mar: reações a camarão, mariscos, lagostas, lulas, ostras e outros frutos do mar são mais comuns na idade adulta porque possuem uma série de proteínas diferentes. Esses alimentos podem provocar sintomas como falta de ar, tosse, vômitos, tontura, coceira na pele e inchaços. Repense infusionar bebidas com esses tipos de ingredientes, usá-los para tinturas e outros insumos no seu bar. Ao invés disso, prefira utilizá-los como guarnição ou pairing de consumo. Deste modo, ele pode ser eliminado ou substituído caso um alérgico peça no seu balcão.

 

5 – Corantes industrializados: uma série de corantes artificiais são usados em doces, sucos, laticínios e outros alimentos. Os sintéticos derivados de carvão (como é o caso do amarelo tartrazina, azul brilhante e vermelho eritrosina) são os que mais costumam levar às reações alérgicas. Alguns corantes naturais, como o vermelho carmim (obtido através do inseto conchonilha), também podem causar sintomas sérios, desde coceira, vômitos, falta de ar até choques anafiláticos (quando o inchaço da garganta impede a respiração). Verifique se as bebidas usadas no seu bar levam algum desses corantes e informe os clientes.

6 – Castanhas: avelãs, castanhas-do-pará, castanhas-de-caju, pistache, nozes e outras oleaginosas são constituídas por uma série de proteínas diferentes capazes de causar reações alérgicas severas, desde coceiras e vermelhidões na pele até vômitos, formigamento e falta de ar.

As castanhas podem ser encontradas em chocolates, cereais, óleos e bebidas. Considere esses ingredientes na hora de criar cocktails para o seu bar.

OFERECENDO INFORMAÇÕES

Mais do que servir como vitrine de criações etílicas, o menu de cocktails é também uma ferramenta informativa para os clientes. É de bom tom sempre informar a graduação alcoólica das bebidas, as marcas utilizadas (se possível), os perfis de sabores (doce, amargo, cítrico, etc) e os ingredientes empregados na preparação. Isso pode ajudar na escolha daqueles que já conhecem os alimentos que despertam reações alérgicas e evitarem fazer alguns pedidos e colocarem sua saúde em risco.

Sempre que possível, busque opções de ingredientes que possam substituir os mais alérgicos e torne-os padrão no seu bar. Afinal, a segurança de seus clientes está em jogo.

Com a ajuda de fabricantes, busque conhecer a composição de algumas bebidas alcoólicas e não alcoólicas, a fim de informar os visitantes do bar sobre o que estão bebendo. Apesar de menos comuns, existem diversos tipos de reações alérgicas ligadas ao uso de corantes sintéticos azuis, amarelos e vermelhos na indústria alimentícia.

ALERGIAS ALIMENTARES: COMO AJUDAR?

Nem todas as reações alérgicas são iguais. Elas podem variar de acordo com o histórico do cliente, com o nível de imunidade e o tipo de alimento consumido. Mesmo oferecendo todas as informações possíveis sobre ingredientes que podem desencadear reações alérgicas no menu de bebidas, muitas pessoas podem experimentar alergias de primeira viagem, ou seja, que sequer sabiam que podia ter. Na maioria destes casos, elas costumam ser brandas e causar apenas um leve desconforto.

Por outro lado, caso um cliente consuma algum alimento que já lhe causou reações no passado, é preciso ficar atento. Ao apresentar os primeiros sintomas, questione-o sobre o medicamento que costuma tomar em crises alérgicas e, caso sinta falta de ar, inchaços ou dificuldades para engolir, acione rapidamente o SAMU ou serviço de emergência disponível.

Vale lembrar que reações alérgicas podem acontecer com todos, em qualquer fase da vida, e quanto antes forem identificadas e tratadas, melhor.

Agora que você já sabe como proteger clientes com alergias, veja como evitar problemas de pele decorrentes do trabalho no bar:

Cuidados essenciais com a pele no bar

Você vai gostar de ler!

Episódio 6 – Blends e envelhecimento de whiskies

⍟ Blends são as expressões mais ricas do universo de sabor dos whiskies escoceses. Saiba como são criados e conheça a influência do envelhecimento em ...

capa do livro star trek cocktails

Star Trek Cocktails: uma aventura etílica por galáxias desconhecidas

⍟ Embarque em uma viagem intergaláctica para conhecer e provar alguns dos mais drinks mais famosos entre os personagens de Star Trek Você já teve ...

Escreva o seu comentário:

O seu e-mail não será divulgado.

Menu deslizante