Em que ano você nasceu?






Você não vai acreditar nesses desenhos únicos escondidos no Whiskey

Notícias
impressões digitais do whiskey

⍟ Cientistas descobriram que a evaporação do whiskey feita em laboratório forma teias com padrões únicos, que mais parecem imagens de galáxias

Publicado em 31 de outubro de 2019, às 16 horas.

É possível distinguir uma amostra de whiskey de outra apenas estudando seu padrão de evaporação? Recentemente, uma pesquisa publicada no Physical Review Fluids provou que a resposta é sim. Três pesquisadores da Universidade de Louisville, no Kentucky, Estados Unidos, descobriram que devido às características de envelhecimento, a bebida deixa resíduos únicos ao evaporar, variando de acordo com a sua fabricação, como se fossem verdadeiras impressões digitais.

Tais registros podem ser importantes para verificar a falsificação das bebidas, ajudar no controle de qualidade das fábricas e também a identificá-los por sua marca.

Stuart Williams, professor de engenharia mecânica da universidade e um dos co-autores do trabalho, notou que se ele diluísse uma gota de whiskey e a deixasse evaporar sob condições controladas de umidade e temperatura, formava-se uma “teia de whiskey“. Ou seja, fios finos semelhantes a vasos sanguíneos. Intrigado, ele decidiu ver se o mesmo acontecia com tipos diferentes whisky – e usou uma garrafa de The Glenlivet para comparação. A resposta não foi a mesma e este foi o pontapé inicial para a pesquisa.

PARTICULARIDADES DO WHISKEY

Enquanto os whiskies escoceses e os irlandeses são maturados em barris já usados ou utilizados na produção de outras bebidas, os whiskeys usam barris novos de carvalho, saturado de matérias inorgânicas que, durante a destilação e maturação produzem ácidos graxos solúveis em alta concentração. Quando diluídos, os ácidos formam estruturas moleculares micro e até nanoscópicas, que conferem ao whiskey uma aparência nebulosa.

TEIAS DE WHISKEY: POR QUE SE FORMAM?

Na pesquisa, cada gota diluída do whiskey era depositada em uma lâmina de vidro e sua evaporação era documentada em imagens com um microscópio invertido e retroiluminação por LED. Como o etanol evapora mais rapidamente que o restante da bebida, os polímeros e surfactantes derivados da maturação causavam movimentos irregulares dos fluídos na forma de vórtices, cuja localização mudava dinamicamente.

As microestruturas moleculares migravam, então, para a a superfície do líquido, onde formavam uma camada única. O movimento do vórtice e a superficie reduzida das microestruturas faziam com que as camadas colidissem, se fundissem e se deformassem ao ponto de que sua forma lembrasse uma camada fina e enrolada, como a da imagem abaixo.

Imagem de uma única estrutura de teia, obtida por microscópico (Crédito das imagens: S. Williams/University of Louisville)

CONCENTRAÇÃO ALCOÓLICA FAZ DIFERENÇA

A pesquisa utilizou 66 marcas para experimentos e, destas, apenas uma não formou teias durante a evaporação. Os cientistas acreditam que o surgimento dessas estruturas está diretamente ligado à concentração de álcool na bebida.

Isso porque, em meio aos testes, eles diluíram as amostras de whiskey em água até cerca de 20-25% ABV. Eles descobriram que se o nível de álcool por volume estivesse acima de 30%, aconteceria apenas a formação um filme uniforme sobre a superfície; e se fosse inferior a 10%, seria formada uma estrutura semelhante a um anel. Foi na graduação alcoólica entre 20% e 25% que se formaram, de fato, as teias de whiskey como vistas nas imagens abaixo, em que foram usadas amostras de Rabbit Hole Whiskey.

“As teias se formaram para uma variedade de whiskeys, mas não se formaram para outros destilados, indicando que o barril de carvalho carbonizado e as condições de maturação desempenham um papel significativo no processo”, escreveram os autores. “Essa técnica pode ser usada para identificar falsificações, além de fornecer informações sobre a maturação do produto”.

Cada ‘galáxia’ deixada na evaporação é única e corresponde à impressão digital do whiskey. Os pesquisadores têm o objetivo de continuar a pesquisa sobre a evaporação e verificar se através das teias é possível identificar a idade e a qualidade dos spirits.

Saiba mais sobre a pesquisa no site oficial do projeto: clique aqui.

Você vai gostar de ler!

drink rosato gin tonic

Rosato Gin & Tonic

INGREDIENTES 50 ml de Aperitivo Ramazzotti Rosato 10 ml de Beefeater London Dry Gin 90 ml de tônica Ramo de alecrim MODO DE PREPARO Adicione cinco cubos de ...

drink rosato spritz

Ramazzotti Spritz

INGREDIENTES 50 ml de Aperitivo Ramazzotti Rosato 100 ml de tônica Folhas de manjericão MODO DE PREPARO Adicione cinco cubos de gelo a uma taça de vinho, ...

drink lillet le blanc

Lillet Le Blanc

INGREDIENTES 40 ml de Lillet Blanc 20 ml de cognac 15 ml de mel 20 ml de suco de limão tahiti 40 ml de suco de laranja 1 ramo de alecrim MODO DE PREPARO ...

Escreva o seu comentário:

O seu e-mail não será divulgado.

Menu deslizante